Devops

Devops

APLICAÇÕES ESCALÁVEIS E DE ALTA DISPONIBILIDADE

DevOps é a aproximação dos times de desenvolvimento e operação (Dev+Ops). Essas áreas se uniram para agregar ferramentas e valores que facilitam, agilizam e melhoram a tecnologia.

O objetivo do DevOps é encurtar o ciclo de desenvolvimento de um software, prover entregas contínuas e automatizadas, além de uma infraestrutura escalável e altamente disponível. A cultura de DevOps já faz parte do DNA Luby, integrando nossos Product Owners, times de análise, desenvolvedores e ferramentas que podem potencializar a infraestrutura do seu sistema.

Devops Luby

Como podemos ajudar sua empresa?

1. Provisionar infraestrutura

Se sua empresa não possui um time TI para provisionar e manter seus servidores, não se preocupe! Aqui na Luby, temos equipes capacitadas para abraçar seu projeto end-to-end, da ideia inicial até o deploy em produção.

2. Integração com servidores existentes

Já ouviu falar ou leu sobre uma tecnologia que acredita ser exatamente o que você precisa? Porém, não sabe nem por onde começar? Se você já possui aplicações em produção e precisa de uma mãozinha para implementar uma stack nova, nós te ajudamos!

3. Migração

É natural que as coisas evoluam, e a indústria de software evolui muito rápido! Como acompanhar essa evolução sem prejudicar seus clientes e sem impactar no produto final? A Luby faz da migração (domínio, servidores, cloud providers) um procedimento muito mais suave e seguro!

Tecnologias

Cloud

Contamos com times de desenvolvimento e infraestrutura prontos para provisionar e desenvolver integrações com os principais players do mercado, ou com o provedor de sua preferência. Desenvolvemos aplicações (multi-cloud ou híbridas) e temos profissionais prontos para integrar com sistemas já existentes, realizar migrações ou escalar um produto que está em produção.

A imagem mostra a união de 3 tecnologias de Cloud utilizadas no DevOps

Containers

Os containers fazem parte do ciclo de vida da maioria dos projetos da Luby. Desde o ambiente de desenvolvimento até o deploy em produção, implementamos os containers para provisionar ambientes isolados, replicáveis e escaláveis. Com o Docker, nós desenvolvemos um produto muito próximo ao ambiente final, tornando a transição e o deploy muito mais ágeis e suaves. Para ambientes que precisam de escalabilidade e alta disponibilidade, nós também temos times capacitados para trabalhar com computação distribuída (clusters) e Kubernetes.

A imagem mostra a união de 3 tecnologias de Containers utilizadas no DevOps

Infrastructure as Code (IaC)

Para lidar com o crescimento acelerado, utilizamos a adoção em massa de tecnologias voltadas para cloud e gerenciamento da infraestrutura em nossos projetos. Dessa forma, encontramos, na Infrastructure as Code (infraestrutura como código), a agilidade e a confiabilidade que precisávamos. Possuímos o know-how para provisionar e operar utilizando as principais tecnologias de infraestrutura do mercado (Terraform, Ansible, AWS CloudFormation) até soluções mais específicas. Podemos criar sua infraestrutura do zero ou integrar com servidores já existentes.

A imagem mostra a importância da Infrastructure as a Code (IaC) utilizada no DevOps da Luby Software

Observability

Além de escalar aplicações, provisionar infraestrutura e desenvolver automações, nos preocupamos em monitorar esses recursos. Além de prever falhas, podemos otimizar os recursos e reduzir custos. Nossa stack de monitoramento é bem completa e se desenvolve cada vez mais. Todos projetos passam pelo SonarQube, onde é realizado um scan de bugs e vulnerabilidades. Utilizamos Prometheus e Grafana para monitorar os recursos em nossas máquinas e o status das aplicações em execução. Também cuidamos dos nossos logs via Elastic Stack e desenvolvemos integrações com os principais players do mercado.

Imagem: exemplos de monitoramentos de servidores (consumo de ram, cpu, uso de disco) na ferramenta Grafana, que tem o objetivo de evitar, por exemplo, que um site fique fora do ar.

Continuous Integration e Continuous Delivery (CI/CD)

As pipelines (“esteiras” de código) fazem parte do nosso processo de DevOps. A ideia é parecida com uma linha de produção industrial: o produto passa por diversas etapas até que o produto chegue ao fim do ciclo. O código passa por diversos processos, como compilação, instalação de bibliotecas, testes e scans de vulnerabilidades, até estar disponível para homologação. Assim, o time pode validar o software de forma mais ágil e com mais assertividade.

jenkins-tecnologias-stacks-luby-software-devops